Blog do Onyx

Liberdade | Democracia

#Dilma quer #mordaça nos Clubes dos #Militares

leave a comment »

Amordaçar militares é uma história antiga. Querer demonizar os governos militares do passado é no mínimo fora de propósito. Não conseguir se relacionar bem com as forças armadas é DESPROVIDO de inteligência. É muito fácil falar do passado, mas comissão para as verdades de 2012, e dos governos do PT é coisa que nem passa pela mente dos defensores dos direitos humanos do DesGoverno Dilma, que parecem viver em um paraíso de respeito aos direitos humanos. Precisamos de moralidade AGORA. Discutir o que os governos militares fizeram e por que fizeram é uma debate para os historiadores, não para os parlamentares. Se o governo quer a história revista então financie seus pesquisadores sobre o passado, os professores dedicados ao assunto. Amordaçar militares da reserva é no mínimo um gesto autoritário que coloca a "presidenta coniventa" no mesmo patamar de comportamento de ditadores como Hitler, que teve que abafar revoltas em suas casernas na base da FORÇA BRUTA. Este ato de Dilma é de uma falta de inteligência tão grande e de uma total falta visão estratégica, mas o que poderíamos esperar de uma presidente que COMPRA apoio no congresso com cargos em ministérios? Enquanto isso o exército de um país continental segue SUCATEADO e sem a mínima chance de coibir as várias forças bem armadas que furam nossas fronteiras enchendo o país de drogas e armas ilegais. (Foto: luisnassif.com)

Dilma intervém em crítica de militares
Clubes das três Forças foram obrigados a desautorizar texto que atacava duas ministras por defenderem a revogação da Lei da Anistia

Os presidentes dos Clubes Militares foram obrigados ontem a publicar uma nota desautorizando o texto do “manifesto interclubes” que criticava a presidente Dilma Rousseff por não censurar duas de suas ministras que defenderam a revogação da Lei da Anistia. Logo depois, porém, tanto o comunicado original como o desmentido foram retirados do site em que foram divulgados.

Dilma não gostou do teor da nota por não aceitar, segundo assessores do Planalto, qualquer tipo de desaprovação às atitudes da comandante suprema das Forças Armadas.

A presidente convocou o ministro Celso Amorim (Defesa) para pedir explicações. Ele se reuniu com os comandantes das três Forças, que negociaram com os presidentes dos clubes da Marinha, Exército e Aeronáutica a “desautorização” da publicação do documento, divulgado no site do Clube Militar no dia 16, como revelou o Estado na terça-feira.

No dia seguinte, houve a reunião de Amorim com os comandantes das três Forças e uma conversa com a presidente. Paralelamente a essa movimentação, os comandantes telefonaram aos presidentes dos três clubes a fim de que a nota crítica a Dilma fosse suprimida.

Ontem, o “comunicado interclubes” foi retirado do site no início da tarde. Por volta das 16 horas, foi divulgado um outro texto, em que os presidentes desautorizavam o comunicado anterior. Esse desmentido, porém, não chegou a ficar meia hora no ar. O Clube do Exército, para tentar encerrar a polêmica, retirou a nota e o desmentido, mas a celeuma já estava criada.

Críticas. Apesar de terem sido obrigados a recuar e, com isso, não criar uma crise militar, os presidentes dos clubes não se conformam com as críticas que têm recebido e temem que a Comissão da Verdade só ouça um dos lados na hora de trabalhar.

Os presidentes dos clubes da Aeronáutica, brigadeiro Carlos de Almeida Baptista, e da Marinha, almirante Ricardo da Veiga Cabral, disseram que em momento algum quiseram criticar a presidente. Para eles, a nota foi uma “precipitação”, no momento em que os principais assuntos para a categoria são a defasagem salarial e a necessidade de reaparelhamento das Forças.

O almirante Veiga Cabral, no entanto, classificou como “provocação” as falas das ministras das Mulheres, Eleonora Menicucci, e dos Direitos Humanos, Maria do Rosário. Eleonora, em seu discurso de posse no início do mês, teria tecido “críticas exacerbadas aos governos militares”. Já Maria do Rosário teria incentivado, mais de uma vez, que pessoas que se considerassem atingidas por fatos ocorridos durante a ditadura poderiam ingressar com ações na Justiça.

“Não podemos ficar parados. É natural que haja uma reação porque não é possível ficarmos sendo desafiados de um lado e engolirmos sapo de outro. A vida é assim, a cada ação tem uma reação”, comentou. O almirante ressalvou que embora os militares, mesmo na reserva, estejam sujeitos ao Estatuto dos Militares, “os clubes não estão subordinados ao Poder Executivo”.

Depois de ressaltar também a “independência” dos Clubes Militares, lembrando que “não é o governo nem os comandos” que mandam na instituição, o brigadeiro Baptista endossou as palavras do almirante que “estranhou” as declarações das duas ministras.

“Não quero tocar fogo, mas não podemos admitir que queiram amordaçar os clubes. Não podem e não vão conseguir fazer isso”, disse.

Autora: TÂNIA MONTEIRO / BRASÍLIA – O Estado de S.Paulo
Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,dilma-intervem-em-critica-de-militares-,839805,0.htm?p=2

Anúncios

Written by onyxlorenzoni

fevereiro 24, 2012 às 8:15 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: