Blog do Onyx

Liberdade | Democracia

#CPI vai quebrar o sigilo da matriz da Delta (nacional)

leave a comment »

A CPMI TERÁ ACESSO AS INFORMAÇÕES DA DELTA NACIONAL Ao contrário do que está sendo veiculado na imprensa, a Delta não está livre da CPI do Cachoeira. Muito pelo contrário, com a aprovação do requerimento, de minha autoria, para que se compartilhe os autos, mídias e informações advindas das quebras de sigilo decorrentes da Operação SAINT-MICHEL a CPMI  terá acesso as informações da Delta matriz. Em um dos desdobramentos da operação SAIN-MICHEL, por decisão de juiz da 5ª Vara do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, determinou-se a quebra dos sigilos bancários e fiscal dos oito envolvidos (entre eles Carlos Cachoeira) e da Delta. Por causa desta decisão do judiciário do DF teremos acesso as informações da Delta matriz (nacional), entre outras. A Operação SAINT-MICHEL surgiu a partir da Operação Monte Carlo, da PF, que prendeu, no final de fevereiro, o empresário goiano Carlos Augusto Ramos, conhecido como Carlinhos Cachoeira, suspeito de envolvimento com jogos ilegais. As operações Vegas e Monte Carlo investigaram exclusivamente o jogo ilegal. O trafíco de influências, a corrupção passiva e ativa, o favorecimento foram investigados na Operação SAINT-MICHEL. Com esta quebra de sigilo, determinada pela justiça do DF, parte das Operação SAINT-MICHEL, a CPMI consegue acessar as informações da Delta nacional, e, ao contrário do veiculado, a CPI não poupou a Delta, e muito menos se restringiu a Delta do Centro-Oeste. O grupo de deputados que quer o avanço da CPMI é vitorioso e, pode levar algum tempo, mas virá a público como a Delta operava com governos e com Carlos Cachoeira e, certamente, na medida em que a CPMI avança os governadores não terão com o escapar de depor. Não acredito em pizza, e provavelmente os “pizzaiolos” que já falam em esvaziamento estão mesmo é com medo dos desdobramentos desta CPMI. (Foto: Divulgação / DEM)

CPI poupa matriz da Delta, Cavendish e governadores

Apenas filiais do Centro-Oeste da empreiteira viram alvo da comissão; Perillo, Cabral e Agnelo foram preservados

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Cachoeira poupou ontem a matriz da empreiteira Delta Construções, que está em processo de negociação de venda para o grupo J&F Participações, restringindo a quebra de sigilos bancário, fiscal e telefônico da empresa às filiais do Centro-Oeste (Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Distrito Federal).

Ao mesmo tempo, a CPI preservou o proprietário da empreiteira, Fernando Cavendish, e os governadores de Estado, limitando à convocação a 51 parentes e pessoas ligadas ao esquema do contraventor Carlinhos Cachoeira.

Foram aprovadas ainda a quebra de sigilos bancário, telefônico e fiscal de 36 pessoas e empresas do esquema. Nenhum dos três parlamentares – Carlos Alberto Lereia (PSDB-GO), Sandes Júnior (PP-GO) e Stepan Nercessian (PPS-RJ) – que aparecem nas operações Vegas e Monte Carlo, da Polícia Federal, e já são alvo de inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) foram convocados ou tiveram seus sigilos quebrados pela CPI.

“Só aprovaram a convocação e a quebra de sigilo dos bagrinhos da história”, resumiu a senadora Kátia Abreu (PSD-TO). Integrantes do PT e do PMDB se uniram para blindar a Delta e Cavendish, sob a alegação de “falta de indícios” para investigar a empreiteira e seu presidente licenciado. Parte da oposição tentou incluir na pauta ontem requerimento para a quebra de sigilo da Delta nacional.

Mas o relator da CPI, deputado Odair Cunha (PT-MG), não concordou e marcou a próxima sessão administrativa para o dia 5 de junho, quando promete pôr em votação o requerimento reivindicado pela oposição. “Não há indícios suficientes para a quebra de sigilo, além das filiais do Centro-Oeste”, argumentou o relator. Os deputados tucanos Carlos Sampaio (SP) e Fernando Franceschini (PR) votaram a favor de adiar a discussão.

Perillo. Ao preservar Cavendish e a Delta nacional, os integrantes da base aliada sinalizaram que vão tentar comprovar o envolvimento do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), com o esquema de Cachoeira. Foi aprovado requerimento de convocação e de quebra de sigilo bancário, fiscal e telefônico de Leonardo Augusto Ramos, sobrinho do contraventor. Segundo investigação da Polícia Federal, foi Leonardo quem deu três cheques, que somavam R$ 1,4 milhão, em pagamento por uma casa vendida por Perillo.

Além da quebra de sigilo da Delta Centro-Oeste, os integrantes da Comissão aprovaram ontem a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico do ex-diretor da Delta Cláudio Abreu e dos principais assessores de Cachoeira: Idalberto Matias de Araújo, conhecido como Dadá; Gleyb Ferreira e Geovani Pereira da Silva. De acordo com a PF, Cláudio Abreu seria o elo da Delta com Cachoeira. Ele está preso e deverá depor na CPI no dia 29 de maio.

Nas cerca de cinco horas de sessão, os integrantes da CPI também aprovaram a convocação do ex-chefe de Gabinete do governo do Distrito Federal Cláudio Monteiro, apontado nas investigações por negociar propina para favorecer a Delta em contratos de prestação de serviços de recolhimento de lixo em Brasília. Foram aprovadas ainda a convocação e quebras de sigilos bancário, fiscal e telefônico de familiares de Cachoeira, como a ex-mulher Andréa Aprígio, o pai do contraventor Sebastião de Almeida Ramos e o irmão Marcos de Almeida Ramos.

Autora: EUGÊNIA LOPES / BRASÍLIA – O Estado de S.Paulo
Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,cpi-poupa-matriz-da-delta–cavendish-e-governadores-,874451,0.htm

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: