Blog do Onyx

Liberdade | Democracia

#CPMI #AO VIVO: Quem cala consente e este silêncio não os inocenta.

leave a comment »

O silêncio destes depoentes lhes incrimina mais ainda, mesmo que este silêncio seja deferido por magistrados dos supremos tribunais. Quem cala consente e este silêncio não os inocenta, pelo contrário, pode ser interpretado como CONFISSÃO DE CULPA. Se estes depoentes não colaboram mais fundo ainda teremos que ir na análise de seus sigilos bancários, telefônicos e fiscais. Na medida em que as informações foram sendo intercruzadas e se comprovar envolvimento de governadores será inevitável que sejam convocados a depor na CPMI. (Foto: Agência Liderança)

CPI abre reunião com suspeitos de envolvimento no esquema de Cachoeira

Começou por volta das10h30 reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) mista que investiga as relações entre Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, e agentes públicos e privados. Na primeira parte da reunião desta quarta-feira (30), a CPI toma o depoimento de quatro pessoas suspeitas de envolvimento com o contraventor goiano, além de uma testemunha. A segunda parte será destinada a apreciação de requerimentos.

Os depoentes, em sua maioria, foram presos pela Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, que também prendeu Cachoeira, acusado de comandar uma organização criminosa.

Foram convocados Cláudio Abreu, ex-diretor da empresa Delta no Centro-Oeste; José Olímpio de Queiroga Neto, apontado como um dos gerentes da organização investigada; Gleyb Ferreira da Cruz, apontado como “laranja” de empreendimentos de Cachoeira; Lenine Araújo de Souza, investigado como contador da organização; Rodrigo Moral Dall Agnol, contador da empresa Delta. Ele vem ao Senado na condição de testemunha. Jayme Eduardo Rincón, também testemunha, enviou atestado médico comunicando a impossibilidade de comparecimento à CPI.

Cláudio Abreu, Lenine de Souza e Gleyb da Cruz obtiveram no Supremo Tribunal Federal o direito constitucional de permanecer em silêncio para não se incriminar.

A reunião da CPI, que se reúne na sala 2 da ala Nilo Coelho, pode ser acompanhada pela Rádio Senado e pelos canais da TV Senado na internet: http://www.senado.gov.br/noticias/tv/

Gleyb fica em silêncio e é dispensado pela CPI

Primeiro convocado a tomar assento nesta quarta-feira (30) na sala da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) mista que investiga as relações entre o contraventor Carlinhos Cachoeira e agentes públicos e privados, Gleyb Ferreira da Cruz, apontado como “laranja” de empreendimentos de Cachoeira manteve-se em silêncio diante dos parlamentares e foi dispensado pelo presidente da comissão, Vital do Rêgo (PMDB-PB).

O próximo depoimento, conforme adiantou o presidente, será do ex-diretor da Delta Cláudio Abreu. Ele foi preso no dia 25 de abril, em Goiânia, por envolvimento na Operação Saint-Michel, deflagrada pela Polícia Civil e pelo Ministério Público de Brasília.

Vital do Rêgo leu na abertura da sessão, documento em que o ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF) defere liminar em Habeas Corpus para garantir que Gleyb Ferreira da Cruz tenha direito a permanecer em silêncio durante depoimento CPI. A decisão de Toffoli foi criticada por parlamentares.

– Se eu presidisse essa comissão, eu devolveria esse habeas corpus – criticou o deputado Miro Teixeira (PDT-RJ).

CPI pode convocar governadores, afirma Vital do Rêgo

Ao abrir a reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) mista que investiga as relações entre Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, e agentes públicos e privados, o presidente do colegiado, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) indeferiu questão de ordem apresentada na reunião de terça-feira (29), pelo deputado Gladson Cameli (PP-AC), e reafirmou que a CPI tem poder para convocar governadores.

– Tenho a convicção de que a convocação não fere nenhum princípio federativo – disse Vital do Rêgo ao final da leitura de um parecer jurídico.

Com essa decisão, poderão ser examinados requerimentos sobre os pedidos de convocação dos governadores Marconi Perillo (PSDB-GO), Agnelo Queiroz (PT-DF) e Sérgio Cabral (PMDB-RJ), que estão na pauta da comissão.

Ex-diretor da Delta também permanece calado na CPI

Dos depoimentos previstos para esta manhã, na CPI mista que investiga o envolvimento do contraventor Carlinhos Cachoeira com agentes públicos e privados, o mais aguardado, do ex-diretor da Delta Cláudio Abreu, não se concretizou. Assim como a maior parte dos convocados pela CPI, ele evocou o direito constitucional de permanecer calado e foi dispensado pelo presidente da CPI, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB). O próximo a comparecer é Lenine Araújo de Souza, investigado como contador da organização.

ClaudioAbreu – assim como os demais convocados desta quarta-feira (30) veio ao Senado munido de habeas corpus com liminar concedida pelo Supremo Tribunal Federal para garantir o direito de ficar em silêncio durante o depoimento.

O presidente da comissão e outros parlamentares criticaram o teor das decisões tomadas pelos ministros do Supremo Tribunal Federal, já que, como afirmou Vital do Rêgo, a comissão tem respeitado a garantia constitucional de os depoentes ficarem calados.

Suposto contador nega ser braço direito de Cachoeira e promete colaborar com CPI

Único a quebrar o silêncio até o momento, Lenine Araújo de Souza – investigado como contador da organização de Carlinhos Cachoeira – negou qualquer relação com as atividades ilegais do contraventor e disse que está disposto a colaborar com as investigações da CPI.

Seu depoimento foi adiado por decisão dos parlamentares, porque ele alegou estar respondendo a inquérito na Justiça de Goiás e não poderá falar antes de audiência marcada para esta quinta-feira (31).

Em breve relato sobre sua prisão, Lenine disse estar se sentido humilhado e injustiçado e que as suspeitas ligando seu nome ao de Cachoeira tem lhe causado problemas psicológicos e afetado sua família.

– Não me considero braço direito do senhor Carlos como me denunciaram. Sinto-me injustiçado quanto a isso – disse.

A CPI aprovou o adiamento do depoimento do ex-presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop), Jayme Eduardo Rincón, que seria ouvido como testemunha.  Jayme, citado nas investigações, enviou documento à CPI em que alega não poder comparecer em razão de motivos de saúde.

Também foi adiado o depoimento de Rodrigo Moral Dall Agnol, contador da empresa Delta. Ele foi convocado na condição de testemunha.

CPI encerra depoimentos e inicia votação de requerimentos

Último dos convocados a tomar assento na sala da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) mista do Cachoeira, José Olímpio de Queiroga Neto, apontado como um dos gerentes da organização investigada, também se recusou a falar aos parlamentares e foi dispensado pelo presidente da comissão, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB).

Com isso, foi encerrada a primeira etapa da reunião, convocada para ouvir suspeitos de envolvimento com Carlinhos Cachoeira e iniciada a segunda parte dos trabalhos, destinada a apreciação de requerimentos.

Entre os pedidos ainda não apreciados pela comissão que podem ser votados, estão a quebra do sigilo bancário, fiscal e telefônico de parlamentares citados nas investigações, incluindo o senador Demóstenes Torres (sem partido-GO).

Também estão pendentes de deliberação os requerimentos de convocação dos governadores do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), e de Goiás, Marconi Perillo (PSDB).

No início da reunião, o presidente da CPI do Cachoeira informou que a comissão é autorizada a convocar governadores. Ele analisou questão de ordem apresentada na terça-feira (29) pelo deputado Gladson Cameli (PP-AC), que argumentava que a CPI violaria o princípio de separação de poderes caso convocasse governadores. O questionamento levou ao adiamento, na terça, da votação da convocação de governadores.

De acordo com parecer jurídico elaborado a pedido da presidência da CPI, compete à comissão investigar, mas julgamentos cabem a processos penais e autoridades podem ser ouvidas como testemunhas.

– A comissão tem poderes de investigação para tirar suas conclusões e cabe solicitar depoimento de qualquer autoridade ou cidadão – assinalou Vital do Rêgo.

Sem entendimento na CPI, quebra de sigilo telefônico do governador de Goiás é adiada

Após longa discussão, a CPI que investiga as relações de Carlinhos Cachoeira com agentes públicos e privados suspendeu, nesta quarta-feira (30), a decisão sobre requerimentos que pedem a quebra de sigilo telefônico e de SMS (mensagens de texto) do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), e dos deputados Sandes Júnior (PP-GO), Stepan Nercessian (PPS-RJ) e Carlos Alberto Leréía Silva (PSDB-GO).

Na presidência da sessão, o deputado Paulo Teixeira (PT-SP) informou que com a retirada de pauta, a votação dos requerimentos fica adiada.

Em um dos requerimentos, apresentado pelo deputado Miro Teixeira (PDT-RJ) era solicitada apenas a quebra do sigilo do governador goiano, mas o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) propôs que fosse votada de forma extensiva a quebra dos demais governadores.

– Não há como admitir a exclusão de alguns, a seleção de alvos, dois pesos e duas medidas – justificou o senador.

Já o relator da CPI, deputado Odair Cunha (PT-MG), defendeu a quebra do sigilo de Perillo exclusivamente.

– Há indícios contundentes que justificam a quebra do governador Marconi Perillo. Não descarto quebra de outros governadores, mas neste momento não é possível encaminhar favoravelmente [a quebra dos demais] – disse.

O deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), por sua vez, questionou a necessidade e a legalidade de quebrar os sigilos de governadores neste momento.

– Não há fundamentação jurídica para quebrar sigilo nesse momento da investigação. A medida é de exceção, que só pode ser concebida quando outro meio de prova não puder dar resposta. Não há pertinência para quebra de sigilo – argumentou.

CPI aprova quebra de sigilo de Demóstenes, empresas e pessoas ligadas a Cachoeira

Por unanimidade, a CPI que investiga as relações de Carlinhos Cachoeira com agentes públicos e privado aprovou na reunião desta terça-feira (29) uma série de requerimentos de quebras de sigilo bancário fiscal e telefônico de pessoas físicas e jurídicas, entre eles o senador Demóstenes Torres (sem partido-GO).

As empresas e pessoas são mencionadas nas investigações da Polícia Federal e têm supostamente ligações com os negócios de Cachoeira.

Demóstenes Torres depôs nesta terça-feira (29), no Conselho de Ética do Senado. Ele negou envolvimento com o esquema de Cachoeira e disse que não sabia dos crimes do contraventor. O senador é esperado nesta quinta-feira (31) pela CPI, mas seu advogado, Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakai, já antecipou que o parlamentar não falará durante a sessão.

Ele esteve no Senado, nesta quarta-feira para pedir à CPI do Cachoeira que o senador seja dispensado do depoimento marcado na comissão. Kakai alegou que Demóstenes já disse tudo que deveria falar sobre o assunto no Conselho de Ética.

– Se por acaso ele tiver que comparecer, ele comparecerá, mas usará do direito de permanecer calado – disse Kakay.

CPI aprova convocações de Perillo e Agnelo, mas rejeita a de Cabral

A CPI do Cachoeira aprovou há pouco a convocação dos governadores de Goiás, Marconi Perillo (PSDB) e do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT). A convocação de Perillo foi unânime. A de Agnelo passou por 16 votos contra 12.

Em seguida, a CPI rejeitou, por 17 votos contra 11, a convocação do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB). Alguns parlamentares alegaram ainda ser necessário analisar os dados da Delta Construções, que teve seus sigilos quebrados, antes de decidir se a CPI convocará Cabral.

As datas dos depoimentos de Perillo e Agnelo ainda serão definidas.

Links relacionados:

Fonte: http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2012/05/30/cpi-aprova-convocacao-de-perillo-e-agnelo-mas-rejeita-a-de-cabral

Fonte: http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2012/05/30/cpi-aprova-quebra-de-sigilo-de-demostenes-empresas-e-pessoas-ligadas-a-cachoeira

Fonte: http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2012/05/30/sem-entendimento-na-cpi-quebra-de-sigilo-telefonico-do-governador-de-goias-e-adiada

Fonte: http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2012/05/30/cpi-encerra-depoimentos-e-inicia-votacao-de-requerimentos

Fonte: http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2012/05/30/suposto-contador-nega-ser-braco-direito-de-cachoeira-e-promete-colaborar-com-cpi

Fonte: http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2012/05/30/ex-diretor-da-delta-tambem-permanece-calado-na-cpi

Fonte: http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2012/05/30/cpi-pode-convocar-governadores-afirma-vital-do-rego

Fonte: http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2012/05/30/gleyb-fica-em-silencio-e-e-dispensado-pela-cpi

Fonte: http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2012/05/30/cpi-abre-reuniao-com-suspeitos-de-envolvimento-no-esquema-de-cachoeira

Anúncios

Written by onyxlorenzoni

maio 30, 2012 às 11:14 am

Publicado em CPI do Cachoeira, CPMI

Tagged with , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: