Blog do Onyx

Liberdade | Democracia

Vamos nominar cada um dos deputados e senadores que atua para impedir a investigação. #CPI #Cachoeira

with 2 comments

(Imagem compartilhada do goodvibeblog.com)

Não estou ameaçando ninguém, esta leitura fica por conta do redator da reportagem, que é muito oportuna, pois alerta para uma situação gravíssima; a de tentar-se blindar, ou reduzir, a CPMI do Cachoeira que está trazendo a luz da opinião pública o maior esquema de desvio de verbas públicas já flagrado no Brasil, me refiro ao esquema de Cachoeira-Cavendish, que usou a Delta e o DNIT para rapinar os cofres públicos. Este esquema, pelo que podemos avaliar até agora, já desviou mais de R$ 420 milhões para empresas laranja ligadas a Delta, isto faz o Valerioduto e o mensalão parecerem coisa de trombadinha. Não podemos permitir que se blinde altos escalões da administração federal envolvidas com os devios da Delta. 98,9% do faturamento da Delta é dinheiro do Governo Federal e dinheiro dos Estados, isto é dinheiro público. Por exemplo, o DNIT, de 2007 para cá, desde que assumiu o Sr. Luiz Antônio Pagot, a Delta em alguns anos dobrou e até triplicou seu faturamento. Se juntarmos as maiores empreiteiras do Brasil, Camargo Correia, Andrade Gutierrez, Queiroz Galvão, OAS, que não são empresas pequenas, são gigantes não apenas nacionais mas também internacionais,  estas 5 somadas são superadas pela Delta em três vezes no recebimento de verbas do DNIT. Fica o convite para que cada cidadão, eleitor, deste país fique atento a quais são os deputados e senadores que atuam para que não se desvende quem se beneficia do maior desvio de verbas já visto no Brasil. Segue a importante reportagem escrita por MELISSA BULEGON para o TERRA. 

Onyx ameaça quem tentar parar CPI: ‘vamos nominar cada um’

A biografia dos políticos envolvidos na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) mista do Cachoeira está em jogo. A afirmação é do deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS), que critica o possível acordo entre o PMDB e o PT para encerrar ou estender a comissão, por no máximo, 30 dias. Integrantes das duas legendas estariam temerosos com possíveis “respingos” das investigações. “Se esse acordão, que sem dúvida nenhuma foi tentado, impedir que a CPI se prolongue por um tempo razoável nós vamos levar o caminho mastigadinho para o Ministério Público para que faça a investigação. Isso vai ser a desmoralização do Congresso Nacional e dos partidos que vão fazer esse acordão porque os dados estavam todos lá, só não foi adiante porque um grupo de deputados e senadores, e aí nós vamos nominar cada um, atuou para impedir a investigação”, ameaçou Onyx, um dos integrantes da CPI.

Os parlamentares só vão decidir por quanto tempo a comissão será prorrogada em reunião no dia 30 de outubro, após o segundo turno das eleições. O plano B de encaminhar o caso ao MP para evitar que tudo “acabe em pizza” está sendo arquitetado pelo grupo dos chamados parlamentares “independentes” – entre eles os deputados Rubens Bueno (PPS-PR), Miro Teixeira (PDT-RJ) e Onyx; e os senadores Pedro Taques (PDT-MT) e Randolfe Rodrigues (PSOL-AP).

Embora o tempo a ser prorrogado ainda não tenha sido definido, o foco das investigações no prazo extra já está sacramentado: esmiuçar o esquema criminoso – apelidado de deltaduto – que tem como protagonistas Carlinhos Cachoeira e o dono da empreiteira da Delta, Fernando Cavendish. “O mensalão que está sendo julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) envolveu R$ 150 milhões. Nós já identificamos de que a Delta transferiu para empresas laranjas algo na ordem de R$ 400 milhões. Estamos atrás do maior esquema de roubo de dinheiro público que se tem notícia no Brasil nas últimas décadas. O mensalão vai virar coisa de moleque”, comparou o deputado do DEM.

Para o parlamentar, o ideal seria estender o prazo da CPI em, no mínimo, 120 dias. “A prorrogação é imprescindível para que a gente consiga a quebra do sigilo bancário de 12 empresas que nós suspeitamos que sejam laranjas e que vão poder nos ajudar a identificar qual foi o destino desse dinheiro porque as sete empresas que quebramos já nos mostram que houve de maneira inequívoca um esquema característico de lavagem de dinheiro”, afirmou o democrata. “É um dever do Congresso investigar até onde chegou o conluio Carlinhos Cachoeira e Cavendish. Até onde a rapinagem de recursos públicos se confirma. Até onde houve favorecimento, corrupção ativa e passiva, formação de quadrilha e peculato”, reforçou.
Pelas apurações levantadas até o momento, a atuação do deltaduto atinge várias regiões do País. A Delta, por exemplo, recebia recursos de um Estado ou do governo federal e repassava para quatro, cinco outras contas bancárias antes de enviar o montante para uma laranja. “O dinheiro toma dois ou três tombos dentro da própria empresa, exatamente para fazer uma mistura e não ter como ser rastreado. Isso se faz para esconder que está se lavando dinheiro. Não se trata se um achado usual. É uma normativa de procedimento”, explicou Onyx.

A descoberta da ação de Cachoeira – e, posteriormente, a sua ligação com Cavendish – sobre dinheiro público é consequência das investigações Monte Carlo e Vegas da Polícia Federal (PF) que desvendaram o esquema de jogo do contraventor. Nessa nova fase, a CPI quer confirmar também a suspeita de recursos obtidos com obras e contratos sem licitação ou fraudes nas concorrências. “Nós temos hoje indícios claríssimos de como esse processo se deu. Inclusive há que se explicar como a Delta, no período do Pagot (Luiz Antônio, ex-diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte – Dnit), se transformou de uma empresa inexpressiva para uma que chegou a ter o triplo dos recebimentos do Ministério dos Transportes do que as cinco maiores empreiteiras do brasil somadas”, disse.

Autora: MELISSA BULEGON para o TERRA
Fonte: TERRA

Anúncios

Written by onyxlorenzoni

outubro 22, 2012 às 11:08 am

2 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Grande Deputado! Já esta passando da hora de “dar nome aos bois”. Os partidos políticos em sua grande maioria não são confiáveis, pois possuem em suas Executivas muita gente que não é “ficha limpa”. Há interesses inconfessáveis em CPIs, CPMIs, indicações para cargos em estatais, etc… Órgãos fiscalizatórios como TCE, TCU, e outros, são formados por indicações políticas. No caso específico desta CPMI, tem que jogar…no ventilador relação com envolvidos com DELTA em todos os estados brasileiros. Essa turma esta espraiada como diz um antigo governador do nosso Rio Grande.

    Miguel Pita

    outubro 22, 2012 at 2:35 pm

    • É fundamental que os cidadãos eleitores, a sociedade de um modo geral, fiquem atentos a QUEM SÃO os deputados e senadores que dificultam a investigação e tentam blindar setores do governo do envolvimento com o vultoso desvio de verbas promovido pelo esquema Cachoeira-Cavendish.

      onyxlorenzoni

      outubro 22, 2012 at 2:50 pm


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: