Blog do Onyx

Liberdade | Democracia

Archive for the ‘Entrevista’ Category

Lula sempre soube de tudo e sempre participou de tudo #mensalão

with 2 comments

Eu não tenho nenhuma dúvida de que esta investigação deva ser aberta pelo Ministério Público Federal. As informações que Marcus Valério traz na tentativa de ter alguma vantagem pelo instituto da delação premiada são gravíssimas, são gravosas, e dão respaldo a tudo aquilo que aqueles que conheceram o esquema do mensalão de perto, como membro da CPI dos Correios e sub-relator das normas de combate a corrupção, eu não fiquei com nenhuma dúvida de que Lula sempre soube de tudo e sempre participou de tudo. Na condenação dos 40 ladrões sempre faltou o Ali-Babá, que a gente sabia, reconhecia e hoje tem a confirmação.

Onyx Lorenzoni quer punição para Lula

O deputado federal Onyx Lorenzoni (Democratas do Rio Grande do Sul) reafirmou a necessidade da abertura de um inquérito para investigar o ex-presidente Lula, acusado de participar do esquema do mensalão. (Fonte: Assessoria de Imprensa)

(Compartilhado do blog esmaelmorais.com.br)

(Compartilhado do blog esmaelmorais.com.br)

 

 

Anúncios

A nova distribuição dos royalties é justa, é legal e diminui as diferenças regionais. #petroleobrasileiro

leave a comment »

O governador do Rio de Janeiro, e os parlamentares do estado, estão inconformados com a distribuição dos royalties para todo o Brasil, esquecem que a prospecção, lavra e extração do petróleo foi feita com dinheiro dos contribuintes de todos os estados, por que somente o RJ iria lucrar com isso? A nova distribuição é justa, é legal e vai beneficiar o Brasil todo reduzindo diferenças regionais.  Os municípios do Brasil precisam destes recursos distribuídos de forma justa. Os estados precisam destes recursos, estão endividados e com dificuldades para investir. Esta distribuição minimiza a centralização de recursos na União Federal e respeita o pacto federativo. Estes recursos são muito desejados por todos, pois os prefeitos e governadores podem usá-los de forma mais autônoma, sem ter que prestar favores (micos) políticos, prática que a presidenta Dilma replica em todos os seus 39 ministérios no “cargo lá, apoio cá” e que caracteriza o seu jeito de governar. O critério que foi aprovado no Congresso Nacional, que optou pelo projeto do Senado Federal, não contempla o acordo espúrio de Dilma com Cabral, que queriam dar uma fatia bem pequena para a distribuição.  Foi uma grande vitória do interesse público, do espírito republicano e da necessidade da maioria sobre acordos palacianos que querem beneficiar alguns e excluir muitos, contrariando a Constituição Federal. É interessante observar que agora os cariocas, capixabas e os assessores da Dilma pararam de tentar empulhar as pessoas com aquela conversa fiada sobre recursos para educação. Os municípios e os Estados já entenderem que pelo critério aprovado no Congresso os recursos podem ser usados em educação, saúde, saneamento, segurança de forma mais autônoma e de acordo com as necessidades de cada região, que são muito diferentes uma da outra.  Se a presidente Dilma vetar o que foi aprovado ela corre o risco muito alto de sofrer mais uma derrota junto a sua base no Congresso, que pode derrubar os vetos presidenciais caso eles prejudiquem a distribuição desta riqueza, que é do Brasil e não só de quem tem vista para o mar. Segue a minha entrevista ao Bom dia Brasil de hoje. 

Clique AQUI e assista reportagem completa no site do G1.

Link do G1: http://g1.globo.com/economia/noticia/2012/11/entenda-o-que-sao-os-royalties-de-petroleo-e-o-que-muda-com-projeto.html

O prefeito tem o direito, em nome de suas comunidades, de escolher onde aplicar o recurso. #royalties @esferapublica_

leave a comment »

(Fonte: YouTube)

CLIQUE AQUI E ESCUTE A ENTREVISTA

Abaixo segue a degravação da entrevista a Taline Oppitz e Juremir Machado no programa Esfera Pública na Rádio Guaíba

“Boa tarde Taline, boa tarde Juremir, boa tarde ouvintes da Guaíba, é uma satisfação e uma honra estar aqui. Quero dizer que todo o problema, para o governo, começa na condução do processo. O ano passado este projeto foi votado no Senado e era para ter sido votado na Câmara. O governo tomou a decisão de economizar 20 bilhões e postergou a análise da Câmara para este ano. Ao longo dos últimos 8 meses eu conversei com os Deputados da base do governo, as conversas foram raríssimas. Nos últimos dois dias, segunda e terça, o governo chamou sua base, seus líderes, os membros da comissão especial, e impôs. É assim, é isso que tem que ser, é este o relatório, vai 100% para educação, e acabou. Não havia margem de diálogo ou negociação. Eu até me surpreendi com Zarattini, que é um bom deputado, por que o Deputado Zarattini se submeteu a esta esperteza do governo que para tentar manter o acordo político feito com o governo do Rio de Janeiro, leia-se o governador Sérgio Cabral e a Presidente Dilma, ele usou a educação como biombo, como escudo. Digo isso por que é evidente que se passasse o projeto original do relator Zarattini, todos os municípios e todos os estados entrariam com uma ação no STF, por uma razão óbvia: não pode uma lei ordinária incidir sobre um princípio constitucional. Isto aqui é uma federação, não é um país unitário. O governador e o prefeito tem o direito, em nome de suas comunidades, de escolher onde aplicar o recurso; este era o primeiro problema. O segundo problema e que o volume de recursos que passaria para os municípios não produtores e os estados não produtores era muito menor (no projeto do Deputado Zarattini). Para fechar a equação o governo federal não quer abrir mão de sua receita, ou seja, o governo federal entra e sai com 20%, desde o primeiro dia. Há uma escala em que os royalties vão evoluir de 2013 a 2020, nos próximos 7 anos, neste processo o governo federal como sempre entra com o que tem e sai com o que tem: 20% dos royalties mais 43% da participação especial, totalizando 46%, ou seja, na União não se toca. O projeto do Zarattini contemplava só 5 estados; Rio de Janeiro, Espírito Santo, São Paulo, Sergipe e Rio Grande do Norte; e retirava recursos de 22 estados, em relação ao projeto aprovado no Senado. Eu subi na tribuna e comecei a ler o relatório que a CNM (Confederação Nacional dos Municípios) nos mandou, fazendo a comparação entre a regra aprovada no Senado em 2012 e o projeto que o governo queria aprovar. Na Bahia, por exemplo, os municípios baianos perderiam 90 milhões de reais, os municípios gaúchos perderiam 55 milhões. Nós devemos arrecadar mais de 400 milhões ano que vem. Para o estado a perda seria de 40 milhões (fora os municípios). Para o ano que vem os municípios gaúchos perderiam mais de 100 milhões, só no ano que vem, e assim Sergipe, Maranhão, e quase todos os estados. Minas Gerais iria perder, nos municípios, 234 milhões. Isto considerando que este número foi calculado sobre 2011, quando o dólar era menor, a produção era menor. O Brasil produz (em petróleo) algo em torno de 2 milhões de barris. A previsão da Petrobrás é fechar 2020 com 5 milhões e 800  mil barris. Nós temos 40 campos em produção e a perspectiva é que até 2020 tenhamos 100 campos em produção. Realmente é um recurso que não era justo que continuasse restrito a estados que tem vista para a torre de captação. Está lá na Avenida Atlantica, com vista para o mar, só que o processo todo de exploração foi construído com recursos de todos nós. (Taline: O governador do Rio diz que  não vai ter dinheiro para fazer a copa?) É uma demasia do governador. Os estados confrontantes, que hoje recebem de royalties 26,25%, em uma escala gradual, vão receber 20%. Na tabela que a CNM nos deu o RJ perde um bi e meio. É dinheiro, mas em contrapartida nos últimos 15 a 20 anos o Rio de Janeiro ganhou 6 a 7 bi por ano, e ninguém viu nada, este é o fato.”

Link do YouTube: http://www.youtube.com/watch?v=0Yxf8ncLyIE

(Foto: Paulo Dias)

Nós que temos o compromisso de buscar a verdade não podemos aceitar a farsa. #CPI #Cachoeira

leave a comment »

(Charge: letrasdeplantao.blogspot.com)

O que o governo está acobertando? O esquema Cachoeira-Cavendish é muito mais bandido do que o do mensalão. #CPI

Clique AQUI e assista a entrevista pelo YouTube.

Nós que temos o compromisso de buscar a verdade não podemos aceitar a farsa. O Democratas se nega a fazer o jogo do governo. Nós estamos na CPI para investigar e apurar as reponsabilidades, por isso nós estamos produzindo; junto com outros parlamentares, no bloco que ficou conhecido como os independentes, um relatório onde vamos condensar todas as nossas investigações e vamos mostrar ao Brasil e ao Ministério Público, para assim mostrar com clareza, o que o governo quer esconder, o que o governo impediu que fosse investigado, o que o governo está acobertando; e o que é mais grave, o mensalão, julgado no STF, foi uma operação de 150 milhões de reais. Na Delta-Cachoeira, de dinheiro do governo federal, já identificamos 420 milhões de reais desviados, 3 vezes mais. Então este é um esquema muito mais bandido do que o esquema do mensalão. Por isso, por que talvez nós estivéssemos chegando muito perto do governo federal e do governo do Rio de Janeiro, houve um grande acordo entre os dois maiores partidos para liquidar com a CPI do Cachoeira. Mas nós não vamos calar. Nós vamos fazer a investigação chegar ao Ministério Público e esperamos trazer a verdade para a sociedade brasielira.” Degravação da entrevista no Vídeo do YouTube, clique aqui e assista.

Link do YouTube: http://www.youtube.com/watch?v=70x2rIu25Sk

Clique nesta imagem e assista a entrevista no YOUTUBE.

Depois de uma operação abafa do governo federal, a CPI do Cachoeira será encerrada. O deputado Onyx Lorenzoni lamentou o fim das investigações no Congresso, mas garantiu que não vai desistir de lutar para que os culpados sejam punidos. (Fonte: Assessoria de Imprensa)

Written by onyxlorenzoni

outubro 31, 2012 at 12:04 pm

#MENSALÃO: Se for realizada justiça, vão ocorrer condenações. @JC_RS

leave a comment »

Esperança no mensalão

Além das brigas partidárias, o julgamento do mensalão está criando um sentimento de esperança entre alguns parlamentares. O que se espera é que o resultado leve ao “fim da impunidade no Brasil”, como afirmou o senador Pedro Simon (PMDB-RS). “Fico emocionado ao observar que depois de uma maré de indecência, o País vive um momento em que a esperança caracteriza o sentimento do povo brasileiro”, disse.

O julgamento, com 36 réus e alta probabilidade de ser longo, também foi considerado um “recado” pelo deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS). “Se, ao fim do julgamento do mensalão, for realizada justiça, seguramente vão ocorrer condenações. E o recado, a mensagem que será passada às atuais e às futuras gerações de brasileiros, é de que ninguém está acima ou, muito menos, além da lei”, comentou.

A orientação de Dilma Rousseff é de que o governo não pare durante o julgamento. “Temos uma decisão de governo de continuar trabalhando com muita seriedade nesse tempo. O Judiciário vai fazer a parte dele, nós temos confiança no Poder Judiciário e seguiremos trabalhando”, disse o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho (PT).

Autor: Edgar Lisboa
Fonte: http://jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=100614

(Fonte: Jornal do Comércio)

#Brasil perde por ano entre 80 a 100 bilhões de reais de dinheiro público, que vem dos nossos impostos, na corrupção.

with one comment

CLIQUE AQUI E ASSISTA A ENTREVISTA NO YOUTUBE.

Link do YouTube: http://www.youtube.com/watch?v=5L6uV_wG9hs

A CPI tem a possibilidade, se fizermos uma distribuição racional do trabalho, de poder investigar toda forma de atuação de corruptores, por exemplo na área de obras públicas, em diversos Estados, e também do Governo Federal. E é muito importante que a gente possa acessar a esses grupos e retirar-los da atividade de prestação de serviços. Por que, na verdade, a gente não pode esquecer que o Brasil perde por ano entre 80 a 100 bilhões de reais de dinheiro público, que vem dos nossos impostos, na corrupção. Isto tem que ser combatido. O grande trabalho da CPI não é fazer o trabalho da Polícia Federal, nem do Ministério Público, no que diz respeito ao jogos ilegais organizados e coordenados pela quadrilha do Cachoeira. O que é importante é ir além, é saber exatamente como se deram estas relações, que instrumentos foram utilizados, para levar para esta quadrilha milhões de reais de dinheiro público. É ai que está o foco fundamental desta CPMI.” Deputado Federal Onyx Lorezoni

Foto: YouTube

Onyx Lorenzoni pede criação de sub-relatorias na CPMI do Cachoeira

O deputado Onyx Lorenzoni (Democratas-RS) reiterou o pedido para criação de sub-relatorias a CPMI do Cachoeira. Na visão de Lorenzoni, as sub-relatorias são ferramentas importantes de auxílio ao trabalho do relator, permitindo melhor aproveitamento do material já encaminhado à comissão. O presidente da CPMI, senador Vital do Rêgo, se comprometeu em deliberar o tema com os membros da comissão no próximo dia 14, quando está agendada reunião administrativa.

O deputado também solicitou, mais uma vez, a divulgação reservada aos parlamentares da comissão da lista de técnicos cedidos de órgãos públicos para apoio nas investigações. Há especialistas do Banco Central, Polícia Federal, Ministério Público e outros à disposição da comissão para auxiliar na análise de documentos, como sigilos bancário e os próprios inquéritos que originaram a CPMI. “Estamos quase na metade do período de atuação da CPMI e queremos saber quem são e onde estão os assessores técnicos que dão suporte a comissão”, reiterou. O democrata já havia feito o mesmo pedido antes do recesso parlamentar.

Segundo Lorenzoni, em outras comissões parlamentares de inquérito havia lugar fixo para que técnicos atuassem com os parlamentares e assessorias dos partidos. “Até o momento, eles estão icógnitas

Autor: Assessoria de imprensa
Fonte: http://www.dem.org.br/2012/08/onyx-lorenzoni-pede-criacao-de-sub-relatorias-na-cpmi-do-cachoeira/

Written by onyxlorenzoni

agosto 8, 2012 at 2:24 pm

#CodigoFlorestal: #Brasil precisa de lei que permita adaptação de cada Estado a seus biomas.

leave a comment »

CLIQUE AQUI E ASSISTA A ENTREVISTA DO DEP. ONYX AO CANAL RURAL

Link do YouTube:  http://www.youtube.com/watch?v=suiMr_DopJw

Código Florestal: Brasil precisa de lei que permita adaptação de cada Estado a seus biomas. Situação traria equilibrio para a legislação.Maiores discussões são sobre afastamento da produção das beiras dos rios. Médio produtor teria que recuar muito sua área,sendo prejudicado.

Clique no link no topo da página para a íntegra da entrevista do Deputado Onyx Lorenzoni no YouTube. (Imagem tirada do You Tube)

Fonte:  http://www.noticiasagricolas.com.br/videos/entrevistas/109163-entrevista-confira-a-entrevista-com-onyx-lorenzoni—dep-fed-dem-rs.html

 

Written by onyxlorenzoni

agosto 7, 2012 at 3:10 pm

%d blogueiros gostam disto: