Blog do Onyx

Liberdade | Democracia

Posts Tagged ‘Presidenta Coniventa

Não vamos ser coniventes com a mentira. 2005 Existiu, sim. @veja

with one comment

A verdade deve doer muito para o PT. Fazem de tudo para negá-la, para maquiá-la, para fazer parecer que a miséria acabou, que as pessoas tem emprego, saúde, educação e comida na mesa. Não vamos ser coniventes com a mentira, com os esquemas que querem nos empurrar garganta abaixo uma verdade que não existe, que não faz parte da vida das pessoas. Dizer que quem ganha mais de R$ 292 por mês é classe média muda a vida das pessoas? Dizer que o Rio São Francisco vai ser transposto acaba com a seca nordestina? Dizer que vai construir 6427 creches e entregar só 20, diminiu o desespero das mães que trabalham por uma vaga na creche. Dizer que investe em saúde, sem enviar os recursos de milhares de municípios, reduz a fila no postão? Esta é a realidade do governo da petista Dilma, ela faz um discurso que não consegue por em prática, até mesmo por falta de competência. A presidende do Brasil inaugura até intenção de fazer estrada, hospital e metrô, mas as obras não andam, não saem do chão. O grande recorde deste governo é a arrecadação, que mais uma vez, neste mês, superou o ano anterior acima da inflação. Queremos um Brasil de verdade, da verdade  e pela verdade. Segue a reportagem da Veja desta semana. 

(Fonte: Veja)

(Fonte: Veja)

O que temos para comemorar em 10 anos de PT no poder? #decadaroubada

leave a comment »

Esta é uma das perguntas que serão debatidas hoje 21h35min no Conversas Cruzadas da TVCOM. Participe pelo Twitter @TVCOMRS e @onyxlorenzoni

10-anos-de-pt-no-poder-por-nani-539x420

 

Combate a miséria? Andando pelas cidades o que vemos é uma realidade bem distante do lindo discurso da presidente.

with one comment

Será que realmente 22 milhões de pessoas serão tirados da miséria absoluta? Esta nova classe média, que o PT diz ter formado, melhorou de vida de verdade? Quando visito as periferias de cidades do Rio Grande do Sul vejo cenários que se repetem no Brasil todo. As pessoas não têm endereço, muitas ruas não têm nome, a energia é via “gato”, não existe saneamento, nem pavimentação adequada, as crianças brincam no lixo, e as dificuldades são imensas. Será que manipular dados e mudar o conceito de classe média para incluir mais faixas de renda soluciona as dificuldades dessas pessoas? A reportagem do jornal O GLOBO, transcrita abaixo, é emblemática, os repórteres encontraram a menos de um quilômetro do palácio do Planalto, em um terreno invadido que é parte da garagem do Senado, crianças e adultos vivendo em meio a condições que são comuns no Brasil: moradia irregular, falta de energia, saneamento, e tudo mais. O governo de Dilma sabe muito bem manipular dados, fazer cálculos estranhos para justificar suas gastos exorbitantes. Dilma diz que combate a miséria, mas na prática, andando pelas cidades, o que vemos é uma realidade bem distante do lindo discurso da presidente. Parece que a miséria mesmo é a da competência e capacidade de gerar empregos, soluções e desenvolvimento por parte das equipes do governo Dilma.

(Fonte:  jornal O GLOBO)

(Fonte: jornal O GLOBO)

A menos de um quilômetro do Planalto, brasileiros vivem na miséria

Cinquenta pessoas vivem sem saneamento ou água encanada

BRASÍLIA – A menos de um quilômetro do Palácio do Planalto, numa área invadida nas imediações da garagem do Senado, 50 pessoas vivem em barracos de madeira e lona, sem saneamento nem água encanada, cercadas de lixo e ratos. Os casebres contam apenas com dois banheiros coletivos, cada um com espaço para uma pessoa, usados principalmente pelas mulheres. Como não há fossa, boa parte dos moradores prefere ir no mato. O banho, de tonel e caneca, é com água fria trazida de ministérios e estacionamentos próximos. Nesta terça-feira, a presidente Dilma Rousseff disse que o Brasil tem o grande desafio de encontrar a miséria que ainda não é conhecida pelo governo, em cerimônia de lançamento da ampliação do programa Brasil Sem Miséria, e pediu ajuda de governantes para achar os pobres que “se escondem dos olhos” do governo.

A moradora Rosa Maria Albino dos Santos, de 36 anos, diz que está cadastrada no Bolsa Família e que deveria receber R$ 300 por mês. Segundo ela, porém, os repasses estão bloqueados. Mãe de quatro filhos, ela conta que o marido foi preso por tentativa de assalto. Além do dinheiro do Bolsa Família, Rosa trabalha como catadora de papel, papelão, plástico e metais, assim como os demais moradores da área. O serviço rende R$ 150 por mês, mas a quantia costuma cair nos meses de chuva.

Em tese, portanto, ela poderia ser classificada como miserável pelo critério de renda do governo, que considera extremamente pobre quem sobrevive com até R$ 70 por mês.

– Tem dois meses que cortaram a minha bolsa – diz Rosa.

O servente de obras Joacy Ferreira da Silva, de 37 anos, vive com dois filhos de 17 e 14 anos. Ele conta que está desempregado há quatro meses. Os garotos não frequentam a escola e trabalham como lavadores de carro. Ele mostrou o cartão do Bolsa Família e diz que deveria receber R$ 32 por mês, mas o benefício também teria sido cortado. Dependendo de quanto os filhos ganhem lavando carros, pode ser que a família se enquadre no critério de miséria definido pelo governo.

Aos 63 anos, Francisca Pedro da Silva afirma que vive no local há mais de 25 anos e que os demais moradores são seus filhos, netos, bisnetos e uma tataraneta. O marido de Francisca, Rosival Albino dos Santos, de 74, é aposentado e recebe um salário mínimo (R$ 678) por mês. A renda do casal, portanto, é de R$ 339 mensais e está acima da linha oficial de miséria estipulada pelo governo. Logo, os dois idosos não têm direito ao Bolsa Família.

– Não ganhei nada nunca do governo – disse Francisca nesta terça-feira.

A alimentação do casal vem das sobras de restaurantes da Esplanada dos Ministérios. É o marido quem busca diariamente. Como não tem geladeira, Francisca salga a carne, cuja maior parte consiste em gordura. O alimento cru fica do lado de fora do casebre, ao ar livre, sobre uma mesa improvisada. Vista de longe, a carne parecia preta, tamanho era o número de moscas varejeiras.

Filha de Francisca, Maria do Socorro, de 40 anos, vive longe da área invadida, na região administrativa do Paranoá. Ela lidera a associação de moradores e catadores e diz que foi a única que conseguiu sair. Segundo Maria do Socorro, os demais não vão embora porque o governo do Distrito Federal prometeu dar casas a todos em outra região.

– Para quem vem de fora, parece feio, mas era pior. Para nós, é um orgulho estar assim. Desde 2009, não derrubam mais barracos. Antes, era uma lona para dormir e, de manhã, tínhamos que recolher tudo, se não a fiscalização vinha e tirava o que visse pela frente. Eles não são miseráveis. Só precisam de ajuda – disse Maria do Socorro.

Alguns moradores do local têm fogão e botijão de gás em casa. Mas muitos cozinham com lenha, em fogões improvisados na rua. Aparelhos de tevê também são vistos. Uma ligação clandestina leva eletricidade para os casebres. Um carro Celta estava estacionado junto a um barraco. A moradora Rosângela da Silva Santos, de 30 anos, disse que recebeu o veículo do ex-marido para compensar o fato de que ele não paga pensão. Rosângela vive com oito filhos com idade entre 4 e 18 anos. Dois adolescentes e duas crianças de 4 e 5 anos não frequentam a escola.

Aos 18 anos, Maria Carolina Celestino de Souza mora num casebre com a filha de um ano. Ela reclamou do fato de que sua mãe recebe Bolsa Família, mas ela, que vive em outro barraco, não. Maria Carolina afirmou que ratos costumam entrar em casa e que ela pega piche e restos de asfalto quente das ruas para tapar buracos entre as folhas de madeirite e pedaços de compensado, numa tentativa de impedir o acesso de roedores. Quando chove, a água entra nos casebres pelo chão.

Em 2011, no ano do lançamento do Brasil sem Miséria, o governo do DF incluiu os moradores no Cadastro Único, a porta de entrada para o Bolsa Família. Os benefícios, porém, só teriam começado a ser pagos no fim do ano passado e, em seguida, teriam sido bloqueados.

O terreno fica junto a uma rua próxima dos prédios anexos da Esplanada dos Ministérios. É comum que motoristas levem comida e doem colchões e roupas. Uma delas é a oficial de Justiça aposentada Haidecilda de Souza Neves, de 57 anos. Ela levou duas camisetas hoje, e contou que costuma dar comida aos moradores.

– É falta de amor e consideração dos governantes. O lixo ao lado do luxo. Crianças nascendo aqui, no meio deste lixo todo, atrás do poder. Não posso com isso – disse Haidecilda.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/pais/a-menos-de-um-quilometro-do-planalto-brasileiros-vivem-na-miseria-7624806#ixzz2LTQaRrWT
© 1996 – 2013.

Fonte: http://oglobo.globo.com/pais/a-menos-de-um-quilometro-do-planalto-brasileiros-vivem-na-miseria-7624806

Miséria mesmo é a falta de competência das equipes da Dilma em gerar empregos, soluções e desenvolvimento.

Miséria mesmo é a falta de competência das equipes da Dilma em gerar empregos, soluções e desenvolvimento.

A coragem de lutar pela liberdade de Yoani mereceu nossa homenagem. @camara

leave a comment »

onyx_yoani_apoio_da_oposicao

(Foto: Orlando Brito para o Blog do Claudio Humberto)

A blogueira cubana Yoani Sanchez foi homenageada na Câmara dos Deputados, nesta tera-feira, ao visitar o plenário. O presidente da sessão, deputado Simão Sessim (PP-RJ), decidiu registrar sua presença, para homenagear a sua luta pelas liberdades em seu país, cuja população é subjugada à mais longeva ditadura latinoamericana. Deputados esquerdopatas como Erica Kokay (DF), e do PSOL, como Ivan Valente (SP), resolveram tumultuar a homenagem no momento em que Sessim convidou Yoane para sentar-se à mesa diretora, alegando que seria “antiregimental”. Mas Yoani não parecia importar-se com a tentativa de tumulto, porque esteve o tempo todo cercada e paparicada por outros parlamentares, como o líde do PSDB, Carlos Sampaio (SP), além de tucanos como Bruno Araújo (PE) e Otavio Leite (RJ), e Onyx Lorenzoni (DEM-RS).

Fonte: Blog do Claudio Humberto

Ditames e desmandos sem questionamentos #MPF

with one comment

Por que interessa ao governo, cuja a marca forte é a corrupção, reduzir as possibilidades de investigação acerca do uso inadequado de verbas públicas? Não existe uma justificativa razoável  para retirar do MP sua função de investigação. Os líderes do PT e do governo Dilma articulam claramente para gerar mais impunidade, para que seus mensaleiros fiquem impunes, para blindar as maracutaias descumunais que acontecem dentro de ministérios e orgãos do governo. Não precisa ser especialista em política para entender que as instituições estão sendo deterioradas para que o projeto de poder do grupo a frente do governo brasileiro possa impor seus ditames e desmandos sem questionamentos.  Segue a reportagem da Folha UOL sobre o posicionamento da CNBB contrário a que se subtraia a possibilidade do MP investigar.

Limitar poder de investigação do MP é 'atentado' e 'retaliação', diz Gurgel (Foto: G1)

Limitar poder de investigação do MP é ‘atentado’ e ‘retaliação’, diz Gurgel (Foto: G1)

CNBB se posiciona contra tirar poder de investigação do Ministério Público

A CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) saiu em defesa do Ministério Público e se posicionou contra a proposta de emenda à Constituição que tira os poderes de investigação do órgão.

Em novembro, a Comissão Especial da Câmara aprovou uma proposta que altera a Constituição e exclui o poder de investigação do Ministério Público.

Para a CNBB, a proposta é “danosa”. “A importância do Ministério Público em diversas investigações é fundamental para o combate eficaz da impunidade que grassa no país”, diz a entidade, em nota emitida nesta quinta-feira (7).

Segundo a CNBB, “não se deve privar a sociedade de nenhum instrumento ou órgão cuja missão seja garantir a transparência e a segurança do povo”.

A entidade ainda questionou a motivação de o Congresso justificar vedar investigações do Ministério Público. “No momento em que os valores e as convicções democráticas da sociedade brasileira passam por uma preocupante crise, custa-nos entender a razão de tal vedação”.

A comissão que aprovou a proposta de eliminação do poder de investigação do Ministério Público é composta por sua maioria de deputados ligados a setores da polícia. O relator da proposta, deputado Fábio Trad (PMDB-MS), apresentou um texto em que mantinha o poder do Ministério Público para atuar em crimes contra a administração pública, praticados por políticos e/ou agentes públicos. O Ministério Público também poderia atuar nas investigações contra organizações criminosas.

Uma emenda apresentada pelo deputado Bernardo de Vasconcellos Moreira (PR-MG), aprovada pela maioria, eliminou essas atribuições do MP e atribuiu exclusivamente às polícias Federal e Civil a competência para a investigação criminal.

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, considerou como um “atentado” ao Estado democrático a aprovação da proposta por parte do Congresso que acaba com o poder de investigação da Ministério Público.

A proposta aguarda votação no plenário da Câmara.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/poder/1227546-cnbb-e-contra-tirar-poder-de-investigacao-do-ministerio-publico.shtml

justica_stf_corruptos_vergonha

Written by onyxlorenzoni

fevereiro 8, 2013 at 3:39 pm

Custo Brasil ou custo Dilma? #gasolinasobe

leave a comment »

(Compartilhado de humorpolitoco.com.br)

(Compartilhado de humorpolitoco.com.br)

A gasolina sobe e a justificativa do governo é que a Petrobrás precisa de muito dinheiro para investir e houve perda de valor de suas ações na bolsa. Ou seja, o (dês)Governo Lula/Dilma transforma a Petrobrás em uma PTetabras, dá uso político a empresa, entrega ativos importantes para governos estrangeiros, administra mal, descumpre normas de governança corporativa, descredibiliza a empresa junto a investidores importantes e quem vai por este verdadeiro sucateamento de uma das mais importantes petrolíferas do mundo? O cidadão brasileiro. O governo aumenta o preço dos combustíveis com a intenção clara de vampirizar o consumidor. Não existe no Brasil um programa consistente de transporte com energias alternativas. Fomos os pioneiros mundiais no uso e desenvolvimento de biocombustíveis e hoje outros países nos superam em seu uso e produção. Não existem programas bem estruturados para a utilização de carros híbridos e outros formas de tranporte que não usam combustível fóssil. Sobre transporte público nem precisamos ir muito longe, a Capital Federal é um anti-exemplo e ao mesmo tempo uma referência sobre o que está acontecendo no Brasil todo. As vias estão com muito mais carros do que suportam e o governo quer por mais carros a gasolina na rua com a clara intenção de arrecadar mais, custe isto o caos do trânsito, a qualidade do ar, a utilização pouco inteligente de um recurso precioso como a nafta, que pode ser usada para fazer materiais. A estratégia dilmista é simplista: passar a conta para o consumidor. Saneamento na Petrobrás, melhorias na adminstração da empresa para atrair mais investidores, nem pensar.  Este não é o custo Brasil ou seria o custo Dilma? Segue link para o vídeo do G1 sobre o aumento de 5,4% no preço dos combustíveis para o consumidor final.

http://g1.globo.com/videos/v/precos-da-gasolina-e-do-diesel-sao-reajustados/2375141/

Written by onyxlorenzoni

janeiro 30, 2013 at 11:19 am

Petrobrás corre risco de ser rebaixada, é lógico que se trata de dilapidação do patrimônio público #desgoverno

leave a comment »

Quem será que botou a mão na Petrobrás, que só perde valor?

Quem será que botou a mão na Petrobrás, que só perde valor?

Lula encontrou a Petrobrás saneada, atrativa, competitiva e no caminho da observância as regras de governança corporativa. 10 anos depois, mesmo o Brasil sendo o mais promissor dos fornecedores alternativos de petróleo e descobrindo novas áreas de extração a Petrobrás perde valor, credibilidade e liquidez. A Petrobrás é uma sociedade anônima da qual a União é a sócia majoritária, se ela está perdendo valor pela má administração, por estar sendo transformada em um cabide de empregos para incompetentes é lógico que se trata de dilapidação do patrimônio público e portanto estes fatos merecem toda a atenção do Ministério Público Federal. Não podemos ficar parados diante do uso político e eleitoreiro da Petrobrás que não respeita sócios minoritários e muito menos as boas práticas da administração. Este é o jeitinho PT de administrar, em que o foco é o projeto de permanência no poder a qualquer custo esquecendo o bem coletivo, as leis e as boas práticas de gestão. Só o que interesse é acomodar os “cumpanheros” em carguinhos com bons salários, e assim levar recursos que deveriam servir para o bem comum para dentro de campanhas políticas. Isto é uma vergonha! Segue a reportagem do Estadão sobre a dilapidação do valor da Petrobrás.

Projeção de endividamento põe nota da Petrobrás sob risco de rebaixamento
Caso as agências rebaixem estatal, empréstimos vão ficar mais caros, ações serão vendidas e capacidade de investimento será limitada

RIO – A luz amarela sobre o endividamento da Petrobrás foi acesa dentro da empresa, jogando mais pressão por um aumento de combustíveis antes da divulgação dos resultados do quarto trimestre. Segundo fontes da companhia, a estatal ultrapassou a barreira que é usada como referência por agências de classificação de risco – nível de alavancagem de 2,5 vezes a relação entre dívida líquida sobre a geração de caixa medida pelo Ebitda (sigla em inglês para lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização).

A partir desse patamar de 2,5 vezes, a petroleira passa a conviver com o risco de ter sua nota rebaixada pelas agências internacionais, o que deixaria empréstimos mais caros, forçaria a venda de ações e limitaria a capacidade de investimento da empresa, com reflexos negativos para toda a cadeia de fornecedores.

Projeções internas dão conta de que, em parte do quarto trimestre, esse limite teria ultrapassado a relação de 2,6 vezes. A luz vermelha acende ao redor do 3. No mês passado, a agência Moody’s já colocou a Petrobrás sob perspectiva de um possível rebaixamento da nota da dívida, o primeiro sinal negativo vindo do mercado.

A projeção interna acima de 2,6 vezes era parcial, pois o resultado do quarto trimestre não estava fechado – a apresentação dos resultados ocorrerá no próximo dia 4 de fevereiro. Espera-se que o reajuste do diesel e da gasolina saia até esta data.

Dessa forma, a empresa divulgaria ao mercado a má notícia (o rompimento do nível de 2,5 vezes) já com um alívio (o aumento) para o caixa.

“O rebaixamento não é automático, e ninguém o faria em véspera de reajuste. Mas é uma ameaça que ronda a Petrobrás”, disse o analista de petróleo da BES Securities do Brasil, Oswaldo Telles Filho.

O possível reajuste, estimado em 7% para a gasolina e até 5% para o diesel, no entanto, não seria suficiente para deixar a companhia em níveis confortáveis, apenas amenizaria a piora na relação de endividamento. “Ajuda a não piorar, mas não resolve”, diz uma fonte da companhia. Na área de captação há grande preocupação com o indicador.

A Petrobrás ganhou em 2007 grau de investimento, classificação que lhe permite melhores condições para se financiar no mercado internacional.

Em 2009, mudou o patamar da dívida, com alta de US$ 25 bilhões, e desde então há piora.

Relação. No terceiro trimestre, a relação dívida líquida/Ebitda ficou em 2,42 vezes, bem acima da 1,66 vez do quarto trimestre de 2011. Segundo cálculos do analista Adriano Pires, do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), um aumento de 7% para a gasolina e 5% para o diesel reduziria a relação entre 0,05 e 0,07 ponto.

Ou seja, mesmo com o aumento nos combustíveis a Petrobrás ainda correria o risco de manter o indicador acima de 2,5 vezes. “Seria um descanso, mas estaria longe de resolver o problema da companhia”, disse Pires. “Mas a inflação está crescendo a galope, estou descrente quanto a um reajuste neste mês.”

O balanço mais recente (3.º trimestre de 2012) diz que o endividamento líquido em reais da Petrobrás aumentara 30% em relação ao ano anterior, para R$ 133,9 bilhões, em decorrência de captações de longo prazo e do impacto de uma depreciação cambial de 8,3%.

Outro analista que prefere o anonimato diz que a petroleira teria caixa próprio para sobreviver por apenas mais um ano: “A evolução da dívida é extremamente preocupante. O governo e o conselho de administração estão apostando em fartura no financiamento, mas isso pode acabar de uma hora para outra”.

O mercado aposta em aumento de cerca de 7% para a gasolina e até 5% para o diesel, já que essa é a diferença que falta para que seja atendida a previsão do plano de negócios da companhia 2012-2016.

O documento previa alta de 15% de forma a viabilizar os US$ 236,4 bilhões em investimentos, e apenas parte foi concedida no ano passado.

Fonte: http://economia.estadao.com.br/noticias/negocios%20industria,projecao-de-endividamento-poe-nota-da-petrobras-sob-risco-de-rebaixamento,141542,0.htm

Written by onyxlorenzoni

janeiro 23, 2013 at 12:32 pm

%d blogueiros gostam disto: